segunda-feira , 20 novembro 2017

Passeios para aproximar as crianças das artes e da natureza

Inhotim - Fuscas - baixa

O Instituto Inhotim, em Brumadinho-MG, a 63 km de Belo Horizonte, é um local perfeito para passar o dia com as crianças. Entre diferentes paisagens de um majestoso jardim botânico é possível conhecer trabalhos de grandes nomes da arte contemporânea como Hélio Oiticica, Giuseppe Penone, Adriana Varejão e Cildo Meireles. As crianças se divertem muito, principalmente na Seção Diagonal da Galeria Mata, onde se tem a impressão de atravessar o vidro, e no espaço A Origem da Obra de Arte, da artista mineira Marilá Dardot, onde elas podem montar nomes e palavras com blocos de tijolos de letras. Há ainda os Fuscas coloridos, obra de Jarbas Lopes, e Elevazione, do italiano Giuseppe Penone, em que uma enorme árvore fica suspensa com as raízes à mostra e como se estivessem escoradas por outras árvores menores. Elas vão adorar também a locomoção interna entre as galerias de arte e as instalações, que pode ser feita em carrinhos de golfe. O passe é vendido na bilheteria e pode ser usado durante toda a permanência no local.
Endereço: Rua B, 20, Inhotim, Brumadinho. Há uma linha de ônibus que sai da rodoviária de Belo Horizonte, da plataforma F2, às 8h15, com retorno às 16h30 durante a semana e às 17h30 aos finais de semana e feriados.
Funcionamento: de 3ª a 6ª-feira das 9h30 às 16h30 e sábados e domingos das 9h30 às 17h30. Fecha às 2ªs-feiras.
Ingressos: R$ 25,00 às 3ªs e 5ªs-feiras, entrada gratuita às 4ªs-feiras e de 6ª a domingo e também aos feriados R$ 40,00. Menores de 5 anos não pagam. Estudantes com idades entre 6 e 12 anos e maiores de 60 anos pagam meia entrada. O passe do carrinho custa R$ 20,00 e é válido para o dia todo.
Quanto tempo ficar: o dia todo.
Mais informações: (31) 3571-9700 ou www.inhotim.org.br

Portucale - um dos corredores de visitação - baixa
O Instituto Portucale de Cerâmica Luso-Brasileira, em Embu das Artes, SP, é um verdadeiro museu a céu aberto, onde é possível apreciar e aprender um pouco mais sobre a relação Portugal-Brasil sob o enfoque das artes. Crianças com mais de 10 anos e adolescentes tendem a se interessar mais pelo passeio. Distribuídas em um belo e extenso jardim estão cerca de 500 peças de cerâmica produzidas entre 1750 e 1950 na região do Porto, em Portugal, e também algumas brasileiras, fabricadas principalmente no estado do Rio de Janeiro. Os itens são separados por temas. Há bustos, vasos, pinhas, globos, balaustres, vasos e animais, principalmente leões e cães. Entre os destaques estão o Jardim dos Continentes, espaço que levou 10 anos para ficar pronto e hoje abriga estátuas que representam todos eles; as quatro estações do ano em peças repletas de detalhes; a coleção de deuses da mitologia grega e romana; um vaso com uma pintura do rosto de Inês de Castro; uma parede com diversos azulejos portugueses; e peças raras como a Indigno, que representa um amor proibido e é composta por duas figuras – normalmente elas trazem apenas uma. Ela é uma dos poucos exemplares do gênero que existem no mundo, segundo revela o colecionador João Paulo Camargo de Toledo. Ele é quem conduz os visitantes pelo jardim e explica detalhes e histórias de cada peça, inclusive das que estão no ateliê em processo de restauro.
Endereço: Estrada Taji Takahashi, 785 (antiga Estrada da Casa Velha), no bairro Chácara Marajoara.
Funcionamento: as visitas podem acontecer durante a semana ou aos finais de semana, em horário comercial, mas é preciso agendamento prévio por telefone.
Ingressos: R$ 30,00 para 1 pessoa ou R$ 50,00 para 2 pessoas.
Quanto tempo ficar: de 2 a 3 horas. Para aproveitar bem o passeio é preciso usar calçado baixo e confortável.
Mais informações: (11) 4704-4072 ou http://pt.institutoportucale.com.br/

Museu Felícia Leirner  - baixa
O Museu Felícia Leirner, em Campos do Jordão, SP, também é um museu a céu aberto, endereço indispensável para quem gosta de passear com os filhos. Em um amplo espaço verde, com possibilidade das crianças correrem, há mais de 80 obras feitas em bronze, cimento branco e granito, da artista polonesa radicada no Brasil, que dá nome ao local. Embora o visitante possa caminhar livremente e conhecer os trabalhos feitos em diferentes fases da vida da escultora, que morou em Campos do Jordão, vale solicitar a visita guiada logo na chegada, pois os monitores contam detalhes riquíssimos da história do lugar e de Felícia, que foi aluna de Victor Brecheret. Não vá embora sem subir o extenso gramado que leva às últimas obras de Felícia Leirner e no topo registrar a beleza da Pedra do Baú ao fundo, emoldurando o cenário com exemplares da Mata Atlântica. Ali fica também o Auditório Cláudio Santoro, sede oficial do Festival de Inverno de Campos do Jordão. Aos domingos pela manhã costuma haver apresentações especiais de música, que são bastante convidativas para parar e assistir.
Endereço: Av. Dr. Luís Arrobas Martins, 1880, Alto da Boa Vista
Funcionamento: de 3ª-feira a domingo, das 9 às 18h.
Ingressos: a entrada é gratuita.
Quanto tempo ficar: 2 horas.
Mais informações: (12) 3662-6000 ou www.museufelicialeirner.org.br/

Você também vai gostar

Uma vila de conhecimento em Campinas A Livraria da Vila, recém-inaugurada na nova ala do Galleria Shopping, em Campinas-SP, é um convite a passar horas e horas mergulhado no mundo dos l...
Arte no verde das gerais   O Instituto Inhotim, em Brumadinho-MG, a 63 km de Belo Horizonte, é um local para passar o dia e não se cansar de apreciar arte contemporânea, ar...
Toda a graça da Serra da Graciosa A Serra da Graciosa, que liga a Região Metropolitana de Curitiba a Antonia, PR, certamente é um dos caminhos mais bonitos para viajar de carro e um ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*